• ControlSoft

Déficit de armazenagem: mercado espera retomada dos investimentos



A expectativa de safra recorde de grãos reacende o debate sobre déficit na capacidade estática do Brasil para o armazenamento. “Já é possível ver que a capacidade estática está começando a aumentar, mesmo que em ritmo lento”, diz Marcelo Alvares de Oliveira, pesquisador da Embrapa e presidente da Associação Brasileira de Pós-colheita (Abrapós).

Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a atual capacidade estática do Brasil é de 157,7 milhões de toneladas de todos os tipos de grãos, o que inclui milho, soja e café, por exemplo. Porém, pesquisas indicam que o ideal é que cada país tenha capacidade para armazenar uma vez e meia o volume da sua produção. Para chegar a esse patamar, o Brasil precisaria ter o dobro da capacidade atual. “Estamos com um déficit porque a nossa capacidade estática não está acompanhando o crescimento exponencial da produção no campo”, explica Oliveira.

Dentro da fazenda a situação é pior

Segundo o pesquisador da Embrapa, dentro das fazendas a armazenagem é ainda mais deficitária. “Se tivermos 15% de armazenagem dentro das fazendas é muito”, diz o pesquisador. “Realmente existe um mercado para crescer.”

Com a retomada do crescimento da economia, a expectativa é que o Plano Safra 2017/2018 traga boas novidades e o produtor tenha fôlego para investir. O presidente da Abrapós acredita que devem surgir novidades para facilitar o custeio dos silos. “Esse problema já vem se arrastando por muitos anos e está bem enraizado dentro do Ministério da Agricultura que a nossa condição de armazenagem tem que aumentar com qualidade”, afirma Oliveira.

Mercado prejudicado

A crise econômica acertou em cheio o setor da armazenagem. Andrea Hollmann, gerente de armazenagem de grãos da empresa CASP, conta que em 2016 o faturamento da empresa caiu 10%. “Os investimentos praticamente pararam porque os financiamentos desapareceram”, conta Andrea.

Para 2017, a executiva espera um leve aquecimento no setor. “O produtor está vendo que ele tem essa necessidade de armazenar na fazenda, porque ele deixa de transportar, tem o produto disponível e pode vender na entressafra, ou seja, ele só tem ganhos”, afirma a gerente. “O produtor não tem mais dúvidas de que precisa de armazenagem, mas a questão do financiamento é bem definitiva no momento.”

Segundo ela, o produtor que investe em silos é motivado por dificuldades como perdas dos grãos, descontos da tradings e, principalmente, o tempo que perde na fila dos armazéns. “O produtor não quer só plantar, ele quer gerenciar tudo. Quem faz esse investimento é um produtor que é administrador, ele faz conta e vê a armazenagem como um negócio”, diz Andrea.

#Abrapós #Conab #Armazéns #Embrapa #Investimento

10 visualizações